Defesa Social aponta queda de ocorrências em espaços públicos na zona rural

Share

Reativada há dois anos, a Guarda Municipal Rural registrou somente um caso de furto em 2018

Guarda Rural foto-Bruno Amaral.Defesa SocialUm balanço da Secretaria Municipal de Defesa Social sobre o atendimento à zona rural de Londrina informou que o número de ocorrências em prédios públicos municipais, em dois anos, é quase nulo na região. O grupamento rural da Guarda Municipal registrou apenas duas ocorrências entre 2017 e 2018.

No período anterior, haviam sido registrados 54 boletins de ocorrência referentes à mediação de conflitos e verificação de denúncias. A diminuição das ocorrências é resultado do trabalho integrado entre a Guarda Municipal e a Polícia Militar. A parceria foi firmada logo no início de 2017 e segue até hoje.

Para o secretário municipal de Defesa Social, Evaristo Kuceki, este serviço é essencial e poderá ser ampliado em breve. “A Guarda Rural tem apresentado resultados positivos desde a sua implantação. Nas reuniões do plano plurianual, realizadas no início do primeiro semestre de 2017, vimos que as reclamações sobre segurança eram frequentes e muito numerosas. Hoje são pouquíssimas as reclamações e a população da área rural não fica mais sem este serviço, que será ampliado assim que a Secretaria de Defesa Social conseguir adquirir uma caminhonete 4x4”, informou.

O grupamento é responsável por realizar o patrulhamento preventivo em 40 prédios públicos, estradas e comunidades localizadas nos 8 distritos rurais, região que corresponde a 90% do território da cidade de Londrina. De acordo com Diego Ribeiro, supervisor do grupamento rural, o apoio da população é fundamental para o sucesso do trabalho policial. “Nossa forma de trabalho é com base no policiamento comunitário, que visa a aproximação da polícia com a população. Essa é a base da Guarda Municipal de Londrina. A gente ganha confiança e com isso a população passa a colaborar com o serviço denunciando, via telefone 153 da GM e também pelo grupo em rede social, qualquer pessoa que seja estranha às comunidades. Com as informações nós realizamos abordagens e conseguimos aumentar a sensação de segurança”, explicou.

A agente comunitária de saúde, Cristiane da Silva Ribeiro, só tem a agradecer a presença do policiamento nos distritos. “Melhorou bastante a nossa segurança. Lembro de quando eles foram tirados daqui e só passavam de vez em quando, foi um período difícil, aumentou o crime, virou bagunça. Teve até um assalto que terminou em morte. Hoje nos sentimos muito mais seguros”, agradeceu.

De acordo com o diretor operacional da GM, Daniel Sakama, a volta da guarda para os distritos foi uma reivindicação da população. “Nossa cidade precisa de mais segurança e a guarda tem a responsabilidade de somar, seja na área urbana ou rural. Eu só tenho a agradecer a forma com que a população nos recebe por lá”, apontou.

A Guarda Municipal atende 24 horas por dia pelos telefones 153 (central de emergência) e 199 (Defesa Civil). A ligação é gratuita de qualquer telefone. Em casos de denúncia, o anonimato é garantido.

 

Foto: Bruno Amaral (Defesa Social)