Banner
   
Tamanho Texto

Busca

Semana de enfrentamento à violência contra a mulher é aberta hoje

Share
Programação vai culminar com ato público no calçadão no dia 25, quando é celebrado o Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher


Semana de enfrentamento à violência contra a mulher é aberta hojeO 1º Encontro Feminista Latino-americano e do Caribe instituiu, em 1981, o dia 25 de novembro como marco internacional na luta pelo enfrentamento à violência praticada contra a mulher. A data lembra o assassinato brutal das três irmãs Mirabal, na República Dominicana, pela ditadura de Leônidas Trujillo. A violência contra a mulher ainda é um fator preocupante: no Brasil, 12 mulheres são vítimas de violência, diariamente.

Diante desse quadro, a Secretaria Municipal da Mulher, por meio de sua titular, Sueli Galhardi, por determinação do prefeito Barbosa Neto e com o apoio da Prefeitura de Londrina, organizou a programação da Semana “Um novo tempo: mulheres rompendo com a violência doméstica”. A programação da semana foi aberta durante a tarde de hoje, no saguão de entrada da Prefeitura, e contou com a presença de várias lideranças na luta pela igualdade de gêneros em Londrina e região.

O prefeito Barbosa Neto participou do evento de abertura e ressaltou a importância social da mulher, lamentando a violência sofrida por elas. “Eu tenho certeza de que cada um de nós aqui conhece alguma dessas histórias. Mulheres sofrem violência, seja ela física, moral, desrespeito, desigualdade salarial. Mas nós, hoje, temos orgulho de estar aqui participando, humildemente, de uma atitude como essa. Esperamos, nos próximos meses e anos, fortalecer esse trabalho maravilhoso, que é fruto dos esforços de homens e mulheres”, elogiou o prefeito.

Barbosa Neto, também, lembrou as iniciativas da Secretaria da Mulher que devem ficar de exemplo para as administrações posteriores. “A iniciativa de criar, com o apoio da Câmara Barbosa Neto, também, lembrou as iniciativas da Secretaria da Mulher Municipal, uma Semana Municipal da Mulher, isso é um marco que vai ficar para todas as próximas gerações. Quando nós ampliamos e reformamos a Casa da Mulher, quando criamos uma nova coordenadoria, uma nova casa para abrigar as mulheres, todas vocês nos ajudaram a construir. Também, o programa ‘Inventando Moda’ que, na próxima semana, vai formar as primeiras turmas de mulheres,  igualmente, vítimas de exclusão de alguma forma e que nós estamos inserindo no mercado de trabalho”, enumerou o prefeito.

A secretária da Mulher, Sueli Galhardi, destacou a relevância do tema na sociedade atual. “Esse é um tema que afeta não apenas a mulher, mas toda a família, toda a sociedade. Por muitas razões, a mulher tem dificuldade de romper com o ciclo de violência. Ela se sente envergonhada, culpada. Mas estamos realizando esta programação, para provar que é possível, sim, quebrar a corrente, é possível dar o primeiro passo. Depois dele, a mulher se sente fortalecida, melhora a autoestima e percebe que há uma rede de apoio no enfrentamento à violência. Toda a estrutura trabalha, para que ela se sinta amparada e segura”, avaliou.

A secretária especial da Região Metropolitana, Elza Correia, também, foi lembrada pelo prefeito como a primeira coordenadora da primeira coordenadoria de um órgão público de proteção à mulher, e discursou a favor da igualdade de direitos. “A lei só é cumprida, se há um gestor público comprometido, e nisso o prefeito Barbosa Neto tem se mostrado um grande parceiro. De acordo com a Constituição, somos iguais perante a lei, mas isso não acontece na prática, por isso, são criados estatutos e órgãos de defesa, para garantir os direitos de pessoas com deficiência, para garantir a promoção da igualdade racial, ou de proteção à mulher, por exemplo. O fato de termos, hoje, uma mulher na presidência da república, o cargo mais alto do país, nos dá esperança e vontade de trabalhar para fazer dar certo. Esse deve ser um compromisso de todos, homens e mulheres, na construção de uma nova ordem social”.

A juíza da Vara Maria da Penha, Zilda Romero, esteve presente no evento e comentou sobre o trabalho desenvolvido na Vara. “A falta de funcionários na Vara Maria da Penha vai ser solucionada na próxima semana, com a contratação de efetivos. A demanda está bastante grande, já foram registrados mais de 1.000 processos”, afirmou. A delegada da Mulher, Elaine Ribeiro, explicou as alterações que a implantação da Vara vai causar na cidade. “De acordo com a Lei Maria da Penha, agora, as prisões em flagrante não são mais crimes afiançáveis. Agora, na delegacia, nós temos a instrução de que não podemos mais liberar o preso que tenha sido acusado de violência contra a mulher, somente, o juiz ou juíza podem liberá-lo”, esclareceu.

Também, estiveram presentes no evento, a presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, Rosalina Batista; a vereadora Lenir de Assis, representando a Câmara Municipal; Sônia Medeiros, representando a Organização Nós do Poder Rosa; além de outras lideranças municipais. A Secretaria realizou a distribuição de adesivos, com alusão ao Dia Internacional pela Não Violência contra a Mulher”.


Programação


No dia 25, quando é celebrado o Dia Internacional, haverá um ato público no Calçadão, entre as 9h e às 13h, com a participação das conselheiras municipais dos direitos da mulher e diversos parceiros para realizar um trabalho de conscientização com os transeuntes. Nesse dia, também, contaremos com a presença do Prefeito, teremos apresentações artísticas e o encerramento ficará por conta da Banda de Músicos de Londrina.

Nas oficinas, mulheres que atuam nos programas sociais da cidade vão receber orientações em dinâmicas de grupo, sobre como agir em situações de risco ou após agressões. As sessões serão segunda (22), quinta (25) e sexta-feira (26), das 14h às 16h30, em três regiões da cidade. A primeira será na Biblioteca Virtual, no jardim Franciscato; a de quinta-feira será na Igreja Peniel, do bairro Luis de Sá; e a última no Centro Comunitário do jardim Olímpico.

Além das oficinas, a programação, também, conta com um ciclo de capacitação para profissionais da área da saúde, que atendem mulheres que passaram por algum tipo de agressão. Na terça-feira (23), das 14h às 17h, haverá um encontro, realizado pelo Conselho Municipal dos Direitos da Mulher, com o tema "Lei Maria da Penha e a Política de Enfrentamento à Violência Doméstica e Familiar", voltado a lideranças comunitárias femininas e dirigentes sindicais, no Sindicato dos Bancários.

No mesmo dia, será realizada, ainda, a orientação sobre "Impactos da Violência na Saúde da Mulher", aos alunos do 3º ano do curso de Enfermagem da Universidade Estadual de Londrina (UEL), no auditório do Hospital Universitário, entre as 8h e as 12h. Para a quarta-feira (24), será ministrada uma palestra acerca da temática "O Crescimento da Violência Contra a Mulher e sua Repercussão na Saúde Emocional", às mulheres beneficiárias da Caixa de Assistência dos Funcionários do Banco do Brasil (Cassi), no próprio local, das 14 às 17h.

O encerramento deste ciclo de capacitação será na sexta-feira (26), com a abordagem "Gênero e Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher: compreendendo os serviços e a Rede Municipal de Enfrentamento à Violência", junto aos estagiários, aprendizes e funcionários recém-incorporados ao Centro de Atendimento à Mulher (CAM). Este encontro será no auditório da Sercomtel, das 8h às 12h. Todas as oficinas e capacitações serão ministradas por funcionários do CAM e pela própria secretária da Mulher.

Fotos: Camilla Balsani

Acesso Fácil

Menu Principal

Quem está Online?

Nós temos 2685 visitantes

Núcleo de Comunicação

Banner
Banner