Banner
   
Tamanho Texto

Busca

Zona Norte e Centro recebem ações de combate à hanseníase

Share

Trabalho inclui orientações sobre a doença em visitas domiciliares, nas UBSs e em pontos estratégicos da cidade

Somando esforços ao Janeiro Roxo, campanha mundial de combate à hanseníase, as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) das regiões norte e central promovem a partir da próxima semana uma série de ações com o objetivo de orientar a população sobre a doença. O trabalho inclui instruções para o diagnóstico e abordagens educativas sobre as causas, transmissão e tratamento no combate à desinformação e ao preconceito.

janeiro roxo.D2De 14 a 18 de janeiro, em visitas domiciliares realizadas pelo Programa Saúde da Família (PSF), uma equipe composta por médicos, enfermeiros, agentes comunitários e outros profissionais de saúde da UBS União da Vitória vai orientar a comunidade para a realização do autodiagnóstico. A proposta é alertar as famílias sobre a necessidade de se atentarem à pequenas manchas e sensibilidade na pele, e que podem ser sintomas da hanseníase. Caso haja suspeita de contaminação, os moradores da região são orientados a procurar a UBS para avaliação médica e realização de exames.

Segundo a coordenadora de Saúde do Adulto e Idoso da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Juliana Marques, o objetivo das orientações é promover o diagnóstico no estágio inicial da doença, facilitando o tratamento e evitando que as lesões gerem danos irreversíveis. “Como a hanseníase é uma doença silenciosa e os sintomas começam a aparecer a partir de dois anos após o contágio, é muito importante estar atento aos primeiros sinais. Assim é possível o tratamento das lesões, evitando o contágio dos familiares”, explicou.

Além disso, os profissionais da unidade farão breves explicações sobre a doença, expondo, entre outras informações, que existe cura, que a transmissão não é imediata e que após duas semanas de tratamento o doente já não transmite a infecção às pessoas próximas. Quem estiver sob suspeita da hanseníase, pode realizar as consultas e exames gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e, se confirmada a doença, o paciente e familiares contam com acompanhamento de uma equipe médica para o tratamento, que reduz os danos à pele e nervos e pode levar à cura.

No dia 28 de janeiro, as UBSs Vila Nova e Centro Social Urbano (CSU) se unem para uma força tarefa em frente ao supermercado Viscardi, na Rua Guaporé, 784. Das 9 às 11h, a equipe de profissionais de saúde vai sensibilizar os clientes e funcionários com informações, buscando colaboradores no combate à hanseníase. No dia 30, as UBSs Cabo Frio e Carnascialli repetem o trabalho das 8h30 às 11h, no Viscardi da Avenida Winston Churchil, 1266.

Em 29 de janeiro, nas salas de espera da UBS União da Vitória, a comunidade da região receberá pequenas palestras. Em dois momentos, um de manhã e outro à tarde, a equipe da unidade fará explicações com banners e cartazes sobre a hanseníase. Os presentes terão também a oportunidade de sanar dúvidas sobre o modo como a bactéria causadora é propagada, tratamento e convivência com a doença.

De acordo com a coordenadora da UBS, Talita Alves Victrio, a proposta é somar esforços ao Janeiro Roxo, alertando os moradores da região sobre a necessidade de falar sobre a hanseníase. “Nosso objetivo é levar ao conhecimento das pessoas o que é a hanseníase, expor seu histórico, modo de contágio e diagnóstico. Muitos não sabem nada sobre a doença, e podem apresentar os sintomas e não saber a gravidade dessas manchas. Portanto queremos conscientizar para que, caso haja a contaminação, começar a tratar na fase inicial”, expôs.

A hanseníase em Londrina - Em 2018, foram notificados 18 novos casos de hanseníase em Londrina, o menor número ao longo dos últimos cinco anos. Juliana explicou que a redução do índice de casos confirmados não é necessariamente um bom sinal. “Embora os números estejam caindo, não significa que está acabando”, disse a coordenadora de Saúde do Adulto e Idoso da SMS. Para 2019, a Secretaria tem como meta diagnosticar 30 novos casos, ampliando o controle da doença e reduzindo a transmissão.

 

Foto: Arquivo

Acesso Fácil

Saúde

Menu Principal

Quem está Online?

Nós temos 2759 visitantes