Banner
   
Tamanho Texto

Busca

Prefeitura lembra à população adulta sobre a importância da vacinação

Share

vacinação.ARQUIVO.P

Vacinas estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde de Londrina gratuitamente

 

A Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa à população quais são as vacinas recomendadas ao público adulto, compreendido na faixa etária de 20 a 59 anos. Segundo a Diretoria de Vigilância em Saúde (DVS), por meio da Gerência de Vigilância Epidemiológica, as imunizações mais recomendadas para os adultos são as vacinas contra Hepatite B, Difteria/tétano (dT), Febre Amarela e a Tríplice Viral.

Todas as vacinas estão disponíveis gratuitamente durante o ano inteiro nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Londrina. Para ser imunizado, o cidadão deve ter em mãos a carteira de vacinação. Para estar imunizado contra Hepatite B é preciso tomar três doses, sendo que a segunda deve ser adquirida após 30 dias a contar da primeira dose e a terceira, cinco meses após a segunda. 

Ela é indicada para as gestantes; integrantes dos grupos vulneráveis; população indígena; trabalhadores de saúde e de instituições de defesa, segurança e resgate; população reclusa em presídios, hospitais psiquiátricos, instituições de reeducação de menores; doadores de sangue; potenciais receptores de múltiplas transfusões de sangue ou politransfundidos; portadores de doenças sexualmente transmissíveis; caminhoneiros; coletores de lixo hospitalar e domiciliar; manicures, pedicures e podólogos, entre outros.

Assim como a vacina contra a Hepatite B, a imunização contra Difteria/Tétano (dT) necessita de três doses. O intervalo é de 60 dias entre cada dose e reforço a cada 10 anos. Os idosos também podem se manter imunizados tomando essa vacina. Além disso, caso ocorra alguma intercorrência dentro do período dos 10 anos, o indivíduo também pode se vacinar. Não há limite de idade para isso.
 
Já para a Febre Amarela é preciso tomar apenas uma única dose. Ela é uma vacina requisitada aos residentes ou viajantes para áreas onde a doença é endêmica, segundo a classificação do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde (OMS). Por isso, aqueles que forem viajar para locais que peçam essa imunização devem tomá-la com antecedência mínima de 10 dias antes da partida. Ela é contraindicada para gestantes e mulheres que estejam amamentando.

Por fim, a Tríplice Viral, que protege contra caxumba, rubéola e sarampo, é indicada às pessoas de 20 a 29 anos de idade. Caso a pessoa tenha recebido duas doses até 20 anos de idade, não há necessidade de se vacinar novamente. Se recebeu uma dose até essa idade deve tomar mais uma. Se não recebeu nenhuma anteriormente deve tomar as duas doses com intervalo de 30 dias entre cada. Se o cidadão tiver de 30 a 39 anos, ele deve se imunizar com apenas uma dose.

Além dessas vacinas, os adultos compreendidos dentro do quadro prioritário como gestantes, trabalhadores de saúde, professores, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, também podem participar das campanhas anuais de vacinação contra a a gripe (Influenza). Os adultos e idosos acamados ou sequelados também devem se imunizar com a Pneumocócica.

De acordo com a gerente de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde, Fátima Tomimatsu, é importante que a população adulta atente para a vacinação, porque nem todas as vacinas tomadas na infância conseguem manter o adulto protegido, sendo que algumas requerem reforços. “Manter-se imunizado ajuda a evitar riscos que podem ocorrer quando as pessoas se machucam. No caso do Tétano, por exemplo, que é uma doença letal, caso haja uma intercorrência é importante que o adulto esteja imunizado. Assim como é importante se vacinar para evitar doenças como a Hepatite, que é de difícil tratamento e é transmissível, garantindo a sua própria proteção e a de quem está próximo”, lembrou.

Caso o adulto não tenha carteira de vacinação ou desconheça a sua situação vacinal não tem problema, porque as equipes das Unidades Básicas de Saúde verificam a situação por meio do Sistema de Cadastro do Município (SAÚDE WEB) e procedem de acordo com as informações disponíveis ou não no sistema.

Mais informações sobre o calendário de vacinação podem ser obtidas no portal da Sociedade Brasileira de Imunizações, pelo https://sbim.org.br/calendarios-de-vacinacao.

 

Foto: Arquivo
 

Acesso Fácil

Menu Principal

Quem está Online?

Nós temos 5057 visitantes

Núcleo de Comunicação

Banner
Banner