Banner
   
Tamanho Texto

Busca

Londrina terá alvará simplificado para construções de até 100 m²

Share

Na cidade, 57% dos projetos aprovados correspondem às residências e pequenos comércios com área a construir de até 100 metros quadrados

Londrina terá alvará simplificado para construções de até 100 m²A Câmara de Londrina aprovou na última quarta-feira (29) o projeto de Lei 57/2013, que estabelece o processo simplificado de licenciamento de projetos arquitetônicos, para aprovação e concessão de alvará de licença para execuções de obras. O legislativo deve encaminhar o documento para o prefeito Alexandre Lopes Kireeff sancionar na próxima semana. A lei começa a valer assim que for publicada no Jornal Oficial do Município.

O objetivo do projeto de lei é agilizar a aprovação e concessão de alvarás para residências comuns, as chamadas unifamiliares e as residências geminadas, conhecidas também como agrupadas, com área total construída de até 100 metros quadrados. O documento não vale para edificações tombadas, para unidades imobiliárias com mais de duas residências e nem para as edificações comerciais.

De acordo com os dados da Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação aproximadamente 57% dos projetos aprovados correspondem às residências e pequenos comércios com área a construir de até 100 metros quadrados.
Para o secretário de Obras, Sandro Nóbrega, a lei é relevante dado o aumento de projetos de construções desse porte em Londrina. “Tem aumentado o número de aprovação de projetos e emissão de alvará de licença de construção em Londrina. Em 2011, foram aprovados aproximadamente 1.417.500,00 m² de área a construir e, em 2012, 2.698.500,00 m² de áreas a construir, constatando um aumento de 90%.  Diante desse número é necessário, sem perder a questão técnica, facilitar os processos e assim fomentar a construção”, disse.

As obras que não se enquadrarem na lei deverão atender o disposto no Código de Obras e Edificações do Município. Os projetos submetidos à aprovação da Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação deverão seguir o mesmo código, atendendo a legislação pertinente em vigor. Quando constatado o não atendimento aos parâmetros mínimos exigidos, o requerente deverá ser notificado pessoalmente, por correspondência ou,  ainda, por meio de edital publicado no Jornal Oficial. O cidadão terá 30 dias sanar a irregularidade.

O cumprimento dos itens constantes na legislação municipal, estadual, federal e Normas Técnicas Brasileiras em vigor é de responsabilidade do proprietário, do possuidor do imóvel, dos responsáveis técnicos dos projetos arquitetônicos e dos executores das obras. Eles ficarão sujeitos as sanções legais, no caso de descumprimento das normas constatadas pela fiscalização da Secretaria de Obras e Pavimentação.

O documento aprovado pela Câmara foi elaborado pelo corpo técnico da Secretaria Municipal de Obras e Pavimentação que utilizou projetos semelhantes realizados nas Prefeituras de Cascavel e Maringá e contou com apoio de diversas entidades como Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) e Clube de Engenharia e Arquitetura de Londrina (CEAL).

 

Foto: N.com

Acesso Fácil

Menu Principal

Quem está Online?

Nós temos 2183 visitantes

Núcleo de Comunicação

Banner
Banner

Servidor Municipal


Redes Sociais

Logo do Facebook  Logo do Flickr  Logo do Youtube  Logo do Twitter  icon instagran

 

 

ouvidoria rodape lon

 acesso a informacao rodape

icon interacao