Banner
   
Tamanho Texto

Busca

Central de Logística Reversa já está em funcionamento

Share
Central de Logística Reversa já está em funcionamento

Iniciativa municipal operacionaliza  retorno dos resíduos que antes eram destinados aos lixões e aterros

A Central de Logística Reversa de Londrina é a primeira central pública implantada no país. Ela foi lançada pelo prefeito Barbosa Neto, no dia 11 deste mês, e já está recebendo resíduos sólidos e materiais especiais coletados nos ecopontos da cidade e faz parte da Política Municipal de Resíduos Sólidos.

A central está instalada no antigo barracão do Instituto Brasileiro do Café (IBC), doado ao Município. O local conta com 28 mil metros quadrados destinados a armazenar os produtos recolhidos na cidade. E não é aberto ao público. A comunidade pode ajudar o município, separando produtos não mais utilizados, como eletrodomésticos, lâmpadas fluorescentes, embalagens de óleos lubrificantes e seus resíduos, móveis, pneus, pilhas e baterias.

O processo de recolhimento e destinação começa quando a população leva aos sete ecopontos, espalhados pela cidade, os resíduos sólidos ou especiais. Os técnicos dos ecopontos classificam os produtos, entre industrializados ou não, e enviam para a Central que funciona como local de catalogação e armazenagem dos resíduos recolhidos. Depois de classificados por fabricante, a central entra em contato com as associações que ficam encarregadas de recolher seus produtos e dar a destinação correta.

A doutora em engenharia de produção e autora do livro “Logística Reversa: em busca do equilíbrio econômico e ambiental”, Patrícia Guarnieri, afirmou que a grande vantagem da central é que “os consumidores finais, cidadãos, terão locais apropriados para descartar resíduos que, na maioria das vezes, é tóxico. Isso reduzirá a quantidade de lixo nas vias públicas, rios e lotes vagos, aumentando a qualidade de vida da população”.

Patricia enfatizou que é importante ter locais, como este implantado em Londrina, porque a logística operacionaliza o retorno dos resíduos - que anteriormente eram destinados a lixões, aterros e locais inapropriados - para destinações ambientalmente corretas como, por exemplo, a reciclagem, incineração para geração de energia ou, em último caso, a disposição final em aterros adequados.

No momento, a Central de Logística Reversa está recebendo também materiais provenientes dos mutirões que vêm realizando ações de prevenção da dengue. O presidente da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), André Nadai, explicou que, mesmo quando os trabalhos de prevenção da dengue terminarem, a central continuará recebendo os resíduos e funcionando normalmente.
Com essa iniciativa inovadora, o município de Londrina demonstra preocupação com o descarte correto dos resíduos, com a preservação do meio ambiente, pois a comunidade tem um local adequado para entregar os resíduos sólidos e a tendência é que diminua o descarte incorreto em terrenos baldios. Além disso, o descarte correto ajuda na prevenção da dengue, ao reduzir a quantidade de locais disponíveis para o hospedeiro do mosquito se reproduzir, como pneus, por exemplo.

O presidente da CMTU, André Nadai, afirma que atualmente estão trabalhando no processo de coleta, seleção, catalogação e redistribuição, aproximadamente, 50 pessoas, entre técnicos da CMTU e funcionários da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMA).
A comunidade interessada em dar o destino correto aos produtos, como eletrodomésticos, pneus, remédios, entre outros, pode levá-los aos mutirões que vão acontecer às terças e quartas-feiras, sendo que, nos dias 22 e 23, estará na região Norte, Área de Abrangência da UBS Parati. Nos dias 29 e 30, será na região Oeste (Jardim Santiago); dias 6 e 7 de dezembro, estará na região Central,  CSU, já dias 13 e 14, na região Sul (União da Vitória); dias 20 e 21, região Leste (Armindo Guazzi) e, nos dias 27 e 28, será na região Norte (Vivi Xavier).

Acesso Fácil

Menu Principal

Quem está Online?

Nós temos 5842 visitantes