Banner
   
Tamanho Texto

Busca

Prefeitura do Município de Londrina - Secretaria M. Saúde - Tuberculose

Tuberculose

Share

Doença infecto-contagiosa causada por uma bactéria (Mycobacterium tuberculosis ou Bacilo de Koch) que afeta principalmente os pulmões, mas também pode ocorrer em outros órgãos do corpo, como ossos, rins e meninges (membranas que envolvem o cérebro).

Sintomas - Alguns pacientes não exibem nenhum indício da doença, outros apresentam sintomas aparentemente simples que são ignorados durante alguns anos (ou meses). Contudo, na maioria dos infectados, os sinais e sintomas mais frequentes descritos são: tosse seca contínua no início, depois com presença de secreção por mais de 4 semanas, transformando-se, na maioria das vezes, em uma tosse com pus ou sangue; cansaço excessivo; febre baixa geralmente à tarde; sudorese noturna; falta de apetite; palidez; emagrecimento acentuado; rouquidão; fraqueza; e prostração. Os casos graves apresentam dificuldade na respiração; eliminação de grande quantidade de sangue, colapso do pulmão e acumulo de pus na pleura (membrana que reveste o pulmão) - se houver comprometimento dessa membrana, pode ocorrer dor torácica.

Transmissão - A transmissão é direta, de pessoa a pessoa. Portanto, a aglomeração de pessoas é o principal fator de transmissão. O doente expele, ao falar, espirrar ou tossir, pequenas gotas de saliva que contêm o agente infeccioso e podem ser aspiradas por outro indivíduo, contaminando-o. Má alimentação, falta de higiene, tabagismo, alcoolismo ou qualquer outro fator que gere baixa resistência orgânica, também favorece o estabelecimento da doença.

Cuidados que o Doente de Tuberculose deve Ter - Proteger a boca com lenço ou papel ao tossir ou espirrar; não cuspir ou escarrar no chão; colocar ao sol, travesseiros, cobertores e colchões; ventilar bem o quarto e a casa; evitar aglomerações de pessoas em ambientes fechados e sem ventilação.

Tratamento - O tratamento à base de antibióticos é 100% eficaz, no entanto, não pode haver abandono. A cura leva 6 meses, mas muitas vezes o paciente não recebe o devido esclarecimento e acaba desistindo antes do tempo. Para evitar o abandono do tratamento é importante que o paciente seja acompanhado por equipes com médicos, enfermeiros, assistentes sociais e visitadores devidamente preparados.

Prevenção - Para prevenir a doença é necessário imunizar as crianças com a vacina BCG. Crianças soropositivas ou recém-nascidas que apresentam sinais ou sintomas de Aids não devem receber a vacina. A prevenção inclui evitar aglomerações, especialmente em ambientes fechados, e não utilizar objetos de pessoas contaminadas.

As pessoas que convivem com o doente e os que têm sintomas respiratórios à unidade de saúde para os exames necessários.

Acesso Fácil

Saúde

Menu Principal

Quem está Online?

Nós temos 2524 visitantes