Banner
   
Tamanho Texto

Busca

Controle Infecção Hospitalar

Share


Comissão de Controle de Infecção Hospitalar

"Antes de tudo, não cause dano". Esse dito lembra que devemos considerar o possível dano que uma intervenção pode causar.
O objetivo das pacientes que procuram o serviço é ter alta do hospital restabelecidas do parto e com o recém-nascido saudável. No entanto, surgem consequências indesejáveis e não intencionais durante o cuidado, dentre elas, as infecções relacionadas à assistência à saúde (IRAS).
Preocupada com o controle das infecções, a Maternidade Municipal conta com um serviço, composto por um médico e uma enfermeira, que segue as normas do Ministério da Saúde e ANVISA, elaborando diretrizes para guiar as práticas dos profissionais do serviço. Essas diretrizes visam garantir a segurança dos pacientes e dos profissionais envolvidos.
Vários fatores contribuem para o surgimento das infecções hospitalares, entre elas, o desenvolvimento de procedimentos invasivos, pacientes imunodeprimidos e taxa cada vez maior de resistência microbiana.
Foram adotadas algumas medidas que têm conseguido evitar e diminuir as infecções:
1- higienização das mãos, sendo a base das ações;
2- alojamento conjunto por 24 horas;
3- unidade de recém-nascido somente para bebês de risco, com restrição de visitas, liberadas somente aos pais;
4- prevenção das infecções de ferida cirúrgica; com remoção apropriada de pêlos, curativo oclusivo 24 horas, antibioticoprofilaxia perioperatória e estimulo a boa higiene;
5- prevenção das infecções de corrente sanguínea;
6- prevenção das infecções de trato urinário;
7- vigilância constante das pacientes internadas quanto aos sinais de infecção;
8- ênfase na equipe do serviço de limpeza,
9- central de material esterilizado, com controle rigoroso das etapas de preparo do material utilizado no hospital;
10- isolamento de pacientes com infecções ou doenças infecciosas;
11- liberação de dois visitantes apenas, evitando o excesso de pessoas circulando dentro do serviço.
A ocorrência de infecção implica num grande peso social e financeiro para familiares e instituição, pois aumenta tempo de permanência hospitalar e uso de medicamentos, não havendo razão para economizar esforços para implementar as ações necessárias.
O melhor caminho ainda é a prevenção das IRAS, como vigilância, controle e prevenção, que nos conduz a melhores taxas de infecção hospitalar, e dos programas de segurança do paciente. Sendo assim, devemos prosseguir, aperfeiçoar e melhorar sempre. Os desafios só podem ser superados com trabalho em equipe, por meio da colaboração de pacientes e profissionais do serviço.

Acesso Fácil

Menu Principal

Quem está Online?

Nós temos 1717 visitantes

Servidor Municipal


Redes Sociais

Logo do Facebook  Logo do Flickr  Logo do Youtube  Logo do Twitter  icon instagran

 

 

ouvidoria rodape lon

 acesso a informacao rodape

icon interacao